The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Apresentação da Tese

The  Liberated Page – Herbert Spencer

De hoje a oito, quinta-feira, às 15h, nas Belas Artes do Porto, vou defender a minha tese de doutoramento sobre autoria no design gráfico e intitulada “O Big Book – Uma Arqueologia do Autor no Design Gráfico”.

Anúncios

Filed under: Autoria, Notícias Breves

7 Responses

  1. manuel quadros e costa diz:

    tenho um presente se me disser uma morada (física) para onde o enviar.

    m.

  2. Carlos Rocha diz:

    Caro Mário Moura

    Posteriormente vai colocar neste blog o link para podermos aceder à sua tese?

    Aguardo com interesse

  3. Francisco M Laranjo diz:

    Caro Mário,

    Tenho pena de não poder assistir à apresentação da sua tese. Não sei se teve oportunidade de ler o recente artigo do Steven McCarthy (Design Issues, Vol. 27, 2011), onde ele recicla uma comunicação feita na conferência New Views de Londres em 2005, cuja publicação é limitada.
    Ele sugere que “An Essay on Typography” (1931) de Gill ou o trabalho de Willem Sandberg (Experimenta Books) começado por volta de 1940 são alguns dos primeiros exemplos do designer-autor. É muito importante e necessário este estudo, principalmente pré anos 90 e Emigré, Cranbrook, Lupton, Wild, Sandhaus, etc. E, que outras denominações teve esta discussão do designer-autor, nomeadamente ‘designer-editor’ na Holanda, com relevantes diferenças. O Steven McCarthy tem vindo a escrever diversas vezes desde 1996 sobre as discussões mais formais começadas nos EUA no princípio dos anos 90, mas tudo continua disperso (e agora repelido e ignorado pela geração de Stuart Bailey, Kyes, Reinfurt) por revistas, conferências académicas e exposições sem grande projecção e documentação consistente.
    Espero que a defesa corra bem!

    • Concordo, e ainda ia mais longe, sugerindo títulos anteriores como os dois Bauhaus Bucher de Moholy-Nagy ou o Nova Tipografia de Tchichold, bem como boa parte da produção de El Lissitsky, por exemplo. O impulso de criar livros sobre o próprio trabalho acompanhou o design como disciplina desde o começo, embora tenha assumido configurações muito distintas ao longo do tempo.

      Conheço o trabalho de Steven McCarthy que tive oportunidade de comentar na minha tese. É bastante interessante, embora seja realmente ignorado pelo cânone das discussões sobre autoria.

  4. Olá Mário, para além de todos os elogios que poderia fazer sobre o excelente trabalho que tens vindo a desenvolver, desejo-te as melhores felicidades para daqui a pouco na tua defesa.
    um abraço,
    Júlio

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: