The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Design para o umbigo e mais além

Aqui em Portugal como em outros sítios, vou lendo e ouvindo muitas queixas em relação ao chamado “design de autor”: que não é útil, que é feito para o umbigo, por iniciativa própria e não para um cliente; que se dá demasiada importância à personalidade do designer; que, pelo contrário, os designers deveriam dedicar-se a cumprir um serviço eficiente, humilde e anónimo.

Mas se existem muitos trabalhos em que a identidade do designer é irrelevante, há alguns, certamente poucos, em que compensa ter um designer com uma identidade marcada – contratando um Sagmeister ou um Saville pode-se garantir, para além de um trabalho com um mínimo de qualidade formal, uma presença mediática forte, através de entrevistas ou conferências, que pode ajudar a promoção nacional ou internacional da instituição que o contrata. Nos casos mais interessantes, não se trata sequer de posar para as câmaras, atirando umas bojardas inconsequentes, mas de conseguir argumentar eficazmente o papel do design e do designer em projectos de grande impacto social, económico e político, assumindo o papel de intelectual público – aqui teríamos gente como Papanek, Sena da Silva, mas também Rudy Vanderlans ou Dave Eggers.

Por outro lado, também há uma utilidade para trabalhos que não são feitos para um cliente. Podem ser dirigidos à sociedade em geral ou a um público específico – outros designers, por exemplo – argumentando um ponto de vista teórico, crítico ou político do próprio designer, por exemplo. Ou podem ser simplesmente um modo de testar soluções que não teriam oportunidade para ocorrer em trabalhos feitos para um cliente.

Boa parte do que sustenta o design enquanto disciplina, a sua teoria, a sua crítica ou a sua história, acontece muito para além do trabalho humilde e anónimo ao serviço de um cliente – cuja apologia não passa muitas vezes de uma glorificação moralista da própria preguiça à custa da capacidade de iniciativa alheia.

 

 

Anúncios

Filed under: Autoria, Cliente, Crítica, Cultura, Design

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Comentários Recentes

Lia Ferreira em Por um lado
Jose Mateus em Censura em Serralves
L. em Lisboa Cidade Triste e Al…
Mário Moura em Livro
João Sobral em Livro

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: