The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Mais Coisas do Ano

Das coisas que gostei de ler este ano, mais uma vez ficou-me muita ficção científica: Kraken, de China Mièville, uma variação muito inventiva do género cada vez mais batido da fantasia urbana passada em Londres. A cada duas páginas, ideias narrativas e especulativas delirantemente novas – das minhas favoritas fica o Deus da Greve.

Gostei também de Zero History, de William Gibson, o fecho da trilogia iniciada com Pattern Recognition e um thriller à volta de uma marca secreta de roupa, militares, tecnologia de espionagem, etc.

Fora isso, tenho gostado da biografia do Luiz Pacheco, em parte porque permite uma visão quase arqueológica de processos de edição e distribuição que desapareceram por completo.

Dentro dos livros antigos, o livro que eu levaria para uma ilha deserta (se quisesse fazer lá uma gráfica, pelo menos) seria o Manual do Typographo, de Libânio da Silva – foi uma revelação, um livrinho que permite perçeber como era uma oficina tipográfica do começo do século XX em Portugal, não apenas a maquinaria mas também os hábitos, as roupas, o vocabulário, a organização laboral, etc.

Filed under: Crítica, Cultura, Design

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: