The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

“Notícias”

Hoje o Público saí-se com uma coisa intitulada “Alemanha junta-se ao coro de críticas contra a austeridade das troikas”, com a fotografia de uma manif a sugerir que as vozes se levantam. Depois vê-se que a foto é de uma manifestação aqui em Portugal. A seguir lê-se o artigo, e verifica-se que tanto o título como o artigo são uma treta.

Diz-se que já não é só na Grécia, Irlanda ou Portugal que se critica a austeridade. Referem-se vagamente responsáveis alemães não-identificados que se demarcam da ideia, porque o termo “tem em alemão uma conotação particularmente negativa de sofrimento extremo, o que os responsáveis em Berlim garantem que está longe de ser o que defendem.”

E o que defendem eles? Na verdade, nada de novo. Apenas distanciarem-se da palavra “austeridade” (tida como falhada) trocando-a pela mais inócua “consolidação orçamental” e tentando associar o seu falhanço apenas ao aumento de impostos, mas elogiando os cortes no Estado Social, aumento de horários, precarização, etc. No fundo, não passa de rebranding: muda-se o nome, a treta é a mesma.

Não passa da cartilha neoliberal da austeridade expansionista – cortes na despesa e diminuição de impostos promovem crescimento (e não levam, como levaram, a mais cortes e aumentos de impostos para resolver os problemas gerados por esses mesmos cortes, numa espiral recessiva).

E até as fotos de manifs portugueses induzem em erro, dando a entender que a postura dos “responsáveis de Berlim” se pode sequer associar a protestos de reformados, de funcionários públicos, desempregados e precários.

Qual a verdadeira notícia? Berlim distancia-se de um falhanço pelo qual é directamente responsável, atirando as culpas para a Troika e investindo na ideia que a sua doutrina ultraliberal até funciona se for bem aplicada. E pelo caminho torpedeia-se discretamente aquela coisa de Portugal ser o “bom aluno”. Se fosse, não tinha falhado, parecem sugerir os tais responsáveis.

(Update: Nem sei como isto me escapou: tem piada a Alemanha juntar-se ao coro. Sabem quem também tentou juntar-se ao coro? O Relvas, claro.

Anúncios

Filed under: Crítica

One Response

  1. Marco diz:

    Muito bem, Mário, também fiquei perplexo com esta notícia. Não tinha ponta por onde se pegasse. Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: