The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Um toque de classe

Paul Krugman chama a atenção no seu blog para uma ideia interessante: quando e como começou a deixar de ser aceitável ser racista em público nos Estados Unidos? Ele diz que foi um processo muito rápido. E especula que hoje em dia acontece o mesmo em relação à homofobia.

Aqui em Portugal com os “pobrezinhos” da Comporta, as Ulrichadas, as Jonezadas, os António Borgismos, parece estar a acontecer o processo oposto: um conjunto de preconceitos privados, em geral discriminação de classe ou classismo, reinvidica cada vez mais o discurso público e perde a vergonha.

Calculo que tanto no exemplo americano como no Português isso tenha a ver com a mobilidade  ascendente ou descendente de grupos sociais: enquanto nos Estados Unidos a sociedade se vai tornando mais abertamente multi-étnica e tolerante à homossexualidade, aqui em Portugal acontece o oposto com a classe média e os mais pobres, que vão perdendo terreno para as classes endinheiradas.

Anúncios

Filed under: Crítica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: