The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Fronteiras

Não estava à espera, mas gostei da rábula dos Gato Fedorento. Depois de semanas, a discutir o radicalismo e os supostos “apelos à violência” de Mário Soares foi refrescante pesar os prós e contras  de dar uma carga de porrada ao Primeiro Ministro ou simplesmente alvejar-lhe os tintins. Põe as coisas em perspectiva.

Houve quem se queixasse da participação de Rodrigo Guedes de Carvalho, argumentando que esbatia as fronteiras do jornalismo confundindo-as com ficção. Não me chateia mesmo nada. Cada telejornal é uma mistura de notícias com anúncio com opinião e (ainda por cima) José Rodrigues dos Santos escreve coisas à Dan Brown. Ao consumir notícias – porque é disso que se trata – convém fazê-lo criticamente, e não assumir que um jornalista, um cenário de fundo garantem seriedade.

O tom sério e formalidade do jornalismo actual deve mais ao seu carácter massivamente industrial, que a uma deontologia. Cai-se um estilo genérico porque se torna mais fácil e expediente traduzir ou adaptar o que é respigado na internet ou nas agências de notícias. O melhor e mais raro jornalismo é mais humano e exige de nós, os leitores, um empenho maior.

 

Anúncios

Filed under: Crítica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: