The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Volto a publicar este (por causa do próximo lançamento)

germs

Continuando a lista de referências da monumentânea (que inclui a TM, a Eros, mas também os álbuns de banda desenhada da Bertrand dos anos 70), incluo também o design dos discos dos Germs, em particular What We Do Is Secret, que mostra como o estilo suíço e o punk não se excluem mutuamente. Num dos meus ensaios favoritos de sempre, “Graphics Incognito” (dot dot dot 12), Mark Owens demonstrou-o, usando precisamente os Germs como exemplo.

Das poucas pessoas a quem a mostrei, já houve quem dissesse que fazia lembrar um livro da Anita com uma capa do Hans Arp, e eu só acrescentaria (para além da inveja de não me ter lembrado disso antes) que por dentro, graças ao print-on-demand, parece um fanzine ou uma revista dos anos 70.

Anúncios

Filed under: Crítica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Arquivos

Comentários Recentes

Mário Moura em Livro
João Sobral em Livro
Peixinho de Prata em O Espectador Calado
Mário Moura em Occidente, 1889
Augusto José em Occidente, 1889

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: