The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Fugiu-lhe a boca para a verdade

portas

Paulo Portas (tirado daqui), a confirmar o que eu dizia no post anterior: a ideia que os anos finais do regime seriam, na ideia de quem os defende, um primeiro passo na direcção da sociedade “moderna”, de mercado, neoliberal mas “poupadinha” sem “direitos adquiridos” ou demasiadas aspirações. Um primeiro passo que o 25 de Abril, e um ou outro governo mais comunista  socialista só veio atrasar (veja-se o comentário a lamentar a “evolução ideológica posterior”, assumindo-se que louva a anterior, claro). Esta gente devia ter lata. Não quando diz coisas destas, que só sublinham o que realmente pensam, mas quando fazem de conta que acreditam noutra coisa qualquer: democracia, liberdade de expressão, de direitos, etc.

Anúncios

Filed under: Crítica

One Response

  1. […] da democracia representativa, mas um momento de primavera marcelista.” É um aviso. Mas há quem diga exactamente o mesmo, com o sentido o oposto: que estamos neste momento, com a intervenção da Troika, com o […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Arquivos

Comentários Recentes

Mário Moura em Livro
João Sobral em Livro
Peixinho de Prata em O Espectador Calado
Mário Moura em Occidente, 1889
Augusto José em Occidente, 1889

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: