The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Nadar

1931-tabu

Tentei ontem ver o Tabu, de Murnau e Flaherty, pela dupla inspiração de ter visto um clip que um amigo partilhou no facebook e o ter visto referenciado numa lista de melhores últimos filmes – foi o derradeiro filme de Murnau, falecido aos quarenta e poucos anos. Não consegui avançar além dos primeiros minutos porque me distraí: reparei que os nativos nadavam uma variante de crawl próxima da que se usa no pólo aquático, com a cabeça fora de água. Fui logo ver vídeos de natação ali mesmo ao lado no Youtube. Já me tinha acontecido o mesmo quando reparei que o actor que fazia de Carlos, o Chacal na mini-série de Olivier Assayas, tinha uma boa postura na água, mesmo numa piscina de hotel. Tentei ver o filme italiano Miele, porque no trailer a protagonista aparecia a nadar no mar com fato térmico, usando se bem me lembro a técnica bent-arm freestyle, embora batesse demasiado as pernas para aquilo ser natação de longa distância. E até a jogar o GTA V na Playstation dei por mim a avaliar a postura e a técnica dos personagens quando caiam à água. Deve acontecer o mesmo aos fãs de futebol quando vêem o seu desporto num filme. Bem, adeuzito, tenho que ir nadar.

Anúncios

Filed under: Crítica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: