The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

Franchise Fractal

Ouvi dizer que anda gente a querer apoderar-se desta pincelada feita a rolo de país. Para fazer um califado, segundo consta. Mais uma prova que estamos na nova Idade  Média, a Idade Multimédia.

É só a segunda ideia mais mirabolante dos últimos anos. A primeira é querer transformar isto tudo num mercado. E, estranhamente, está a dar certo. Não porque funcione – é uma merda – mas porque simplesmente está a ser posta em prática. Mal seria: afinal, tem todos os meios e legislação da Europa a apoiá-la. Tem um governo cuja função, que cumpre com gosto, é impedir e desencorajar tudo o que se ponha no caminho – sindicatos, reformados, etc.

Ainda sobrevive alguma coisa do Estado Nação mas simbolicamente, como num MacDonald instalado num edifício histórico cuja decoração lembra o uso anterior. No do Via Catarina do Porto, tinham umas ampliações do Primeiro de Janeiro, o antigo dono do edifício, antes de ser esventrado e convertido em centro comercial.

O próprio território se tornou numa espécie de reprodução ampliada, um recuerdo de como era dantes, um cenário panorâmico para um país-franchise, igual a todos os outros (só muda o tema). Umas tantas aldeias e vilas esvaziadas de tribunais, de centros de saúde, convertidas em turismos de habitação com piscinas onde antes ficavam as eiras. Cidades–dormitório para turistas. Tascas gurmê até onde a vista alcança, todas inovadoras e todas alternativas – nisso são todas igualzinhas.

E, se possível, até o cidadãozito se converte também numa franchise, um empreendedorzito – uma empresazita de uma pessoa só. Franchises uns dentro dos outros, para cima, para baixo e para os lados, sempre diferentes, sempre iguais.

Anúncios

Filed under: Crítica

3 Responses

  1. João A. diz:

    E porque não o melhor dos dois mundos?

    Não é preciso tornar tudo um franchise, certo!

    Mas não é preciso perder os princípios, as raízes e até essa costela (exageradamente) patriota bem presente no artigo para fazer parte de um projecto desses bem-sucedido. Aliás são estes até que ajudam a elevar esse nacionalismo saudável.

  2. por algum motivo, cada vez k oiço a palavra patriotismo (ou afins) apetece-m empunhar uma arma… – tipo o ‘outro'(?) com a ‘cultura’…!

    p.s. de qualquer modo, caiu-me bem o ‘Idade Média-Idade Multimédia’!

  3. heroisdomar diz:

    ‘Natural’s Not In It’: ‘At Home He’s A Tourist’…
    …’Call Me Up’- ‘The History Of The World’.
    [?(…)]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: