The Ressabiator

Ícone

Se não podes pô-los a pensar uma vez, podes pô-los a pensar duas vezes

IMG_4653

Os livros do Jan Tschichold, sobretudo os que escreveu, são objectos inacreditáveis. A mancha de texto, a sua relação com a página, a articulação tonal entre as fontes, o uso da cor, o papel – é tudo incrível. Folhear Die Neue Typographie, de 1928, ou o Typografische Gestaltung, de 1935, são como ver um atleta olímpico a nadar, um corredor de Fórmula 1 a conduzir, sobretudo quando se sabe o suficiente para pressentir a impossibilidade do que vemos, o atrito entre aquilo e o que se vai vendo e o que se vai fazendo, o design do dia-a-dia.

Tschichold é um dos designers mais influentes – o que é curioso, porque destrói por completo quem tenta segui-lo. Tudo o que disse e escreveu sobre design é uma espécie de gigantesca armadilha. Deixou centenas de receitas, esquemas, preceitos, mezinhas, dicas e moralidades. Seguidas à risca, não dão em nada. Não há nada que fique sequer perto.

A maneira de apreciar Tschichold é ficar embasbacado com o seu design e tratar a sua escrita como uma coisa boa para pôr os alunos a fazer exercícios. Depressa perceberão que seguindo a receita não se chega a nada de interesse.

Filed under: Crítica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Arquivos

Arquivos

Categorias

%d bloggers like this: